MACA PERUANA: DA CORDILHEIRA DOS ANDES PARA O MUNDO

Cultivada nas montanhas peruanas, maca peruana tem uma história longa e diferenciada, já que foi vastamente utilizada mesmo antes dos incas, tanto como alimento quanto na medicina natural. De nome científico Lepidium meyenii, maca é muitas vezes mencionada como "ginseng peruano" ou "ginseng dos Andes". Pertence à família das crucíferas (Brassicaceae) e é nativa da Cordilheira dos Andes, onde floresce em seu solo rochoso, em meio a ventos fortes, sol intenso e temperaturas flutuantes.

De aparência muito semelhante a um rabanete ou nabo, maca peruana se tornou muito popular por suas propriedades otimizadoras da vitalidade e saúde reprodutiva tanto de homens como de mulheres. Atualmente, maca é utilizada em diferentes partes do mundo, onde, sem dúvida, a cada dia recebe maior notoriedade devido às evidências científicas que apontam a seu favor.

A parte aproveitada da planta é a raiz, que hoje é facilmente encontrada na forma de pó ou em cápsulas. Maca é classificada de acordo com a cor de suas raízes, sendo as mais comuns a amarela, a preta e a vermelha. Todas certamente possuem suas particuaridades, mas possuem benefícios semelhantes. O sabor também pode variar de acordo com o tipo de maca, variando de ligeiramente amargo a ligeiramente adocicado.

Maca é considerada, ainda, um agente adaptógeno, o que significa que ajuda o organismo a lidar com situações estressantes, a exemplo daquelas vividas pela maiora das pessoas diariamente, como agendas muito lotadas, demandas de trabalho, engarrafamentos, atritos de relacionamento, entre outras. Para explorar mais a fundo os diversos benefícios dessa raiz, continue acompanhando o artigo.

 

NUTRIENTES NA MACA PERUANA

Raiz de maca contém fitonutrientes que podem contriuir na saúde geral, além de várias vitaminas e minerais, incluindo vitamina C, vitaminas B1, B2 e B6, potássio, cobre, ferro, manganês. Possui antioxidantes, que são componentes que ajudam o corpo a combater o excesso de radicais livres, prevenindo avarias às nossas células. Um polissacarídeo extraído da maca peruana, por exemplo, já demonstrou alta atividade antioxidante, sendo efetivo no combate aos danos dos radicais livres [1]. Maca apresenta sabor e aroma que normalmente são bem aceitos pelas pessoas, o que facilita bastante sua inclusão em receitas diversas ou simplesmente nas refeições diárias.

 

UMA RAIZ, DIVERSOS BENEFÍCIOS

Maca e saúde feminina

Vários estudos confirmam que a maca beneficia a saúde sexual feminina através de diferentes mecanismos. Esses mecanismos nem sempre são bem compreendidos. Como já citado, maca é considerada um adaptógeno, isto é, ajuda o corpo a manter a homeostase frente a estressores corriqueiros do dia a dia. Essa talvez seja uma das razões pelas quais ajude a combater a diminuição do desejo sexual.

Um estudo randomizado duplo-cego controlado por placebo, publicado em 2015, analisou os efeitos da raiz de maca em mulheres com disfunção sexual ocasionada pelo uso de antidepressivos. Observou-se que a raiz de maca proporcionou taxas mais altas de melhoria na função sexual do que o placebo.

Outro estudo, publicado anos antes, demonstrou resultados semelhantes. Segundo autores, a raiz de maca pode aliviar a disfunção sexual induzida por ISRS (inibidores seletivos de recaptação de serotonina) e pode haver um efeito relacionado à dose. ISRS são medicamentos vastamente utilizados para o tratamento de depressão.

Em um estudo de 2008, realizado com quatorze mulheres na pós-menopausa que receberam 3,5 g/dia de maca em pó por 6 semanas e placebo por 6 semanas (período total de 12 semanas), verificou-se que a maca reduziu sintomas de depressão e ansiedade, bem como diminuiu medidas de disfunção sexual nessas mulheres.

Maca pode ajudar a tratar os sintomas da menopausa, incluindo ondas de calor, secura vaginal e, como já mencionado, a perda de libido [2]. Maca demonstrou ser uma opção alternativa para reduzir a dependência das terapias de reposição hormonal [3]. Você, mulher, que deseja amenizar desequilíbrios hormonais ou simplesmente otimizar a função reprodutiva e a saúde como um todo, vale a pena apostar na maca peruana.

Maca e saúde masculina

Além das mulheres, os homens também podem usufruir dos benefícios proporcionados por essa raiz dos Andes. Por exemplo, achados demonstram que maca peruana potencializa a saúde sexual masculina, mesmo não havendo relação direta observada entre seu consumo e o aumento dos níveis de testosterona [4].

Um estudo de 2009, publicado no Journal of Ethnopharmacology, mostrou que quatorze dias de suplementação com extrato de maca melhorou o desempenho de ciclistas em uma prova específica de 40 km, bem como aumentou o desejo sexual desses atletas.

Segundo autores, tais resultados incentivam estudos clínicos de longo prazo envolvendo mais voluntários para avaliar melhor a eficácia do extrato de maca em atletas e indivíduos normais e também para explorar seus possíveis mecanismos de ação. O estudo em questão contou com a presença de oito homens

Outro estudo, esse publicado em 2001, descobriu que a maca (1500 ou 3000 mg por dia em um período de quatro meses) ajudou a melhorar a qualidade e a motilidade dos espermatozóides, dois fatores importantes quando se trata de fertilidade masculina. Interessatemente, maca não modificou os níveis hormonais, o que só reforça a ideia de que atue em mecanismos específicos, que não os hormonais.

Um estudo randomizado duplo-cego controlado por placebo, publicado em 2015 no Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, incluiu vinte homens saudáveis com idades entre 20 e 40 anos. Onze deles foram conduzidos ao grupo experimental e o restante para o grupo controle. O grupo experimental recebeu 1,75 g/dia de maca durante 12 semanas enquanto que o grupo controle recebeu placebo.

Dois voluntários, ambos do grupo controle, tiveram de ser excluídos da pesquisa, uma vez que sofriam de oligospermia. Portanto, sete participantes receberam placebo e onze maca. Interessantemente, isso se correlaciona razoavelmente bem com as declarações de Hirsh [5] de que a subfertilidade afeta um em cada vinte homens.

Analisando amostras de sêmen, os pesquisadores descobriram que todos os parâmetros de qualidade avaliados demonstraram tendências crescentes no grupo da maca após 12 semanas de estudo, incluindo aumentos de 20% na contagem total de espermatozóides e de 9% no volume do sêmen. Também foram oservados resultados positivos na motilidade e na concentração espermática.

Maca e saúde psicológica

Maca pode auxiliar na saúde psicológica, combatendo condições bastante comuns em nossa vida moderna, incluindo depressão e ansiedade [6]. Um estudo publicado em 2015, por exemplo, observou redução nos sintomas de depressão em mulheres pós-menopáusicas após a administração diária de 3,3 gramas de maca. Também foram notadas melhorias na pressão arterial diastólica dessas mulheres.

Ainda, pesquisa em animais de 2014 obteve achados animadores. De acordo com autores:

"...o extrato de maca (250 e 500 mg/kg) apresentou efeitos semelhantes aos antidepressivos e foi relacionado à ativação de sistemas noradrenérgicos e dopaminérgicos, bem como à atenuação do estresse oxidativo no cérebro dos camundongos."

Maca e desempenho físico.

Maca é largamente utilizada por atletas e esportistas com o intuito de obter maiores níveis de energia, força e resistência durante os exercícios. Como já citado nesse mesmo artigo, a administração de maca mostrou melhorar o desempenho de ciclistas [7]. Além disso, estudos em animais apontam para a mesma direção [8, 9, 10].

Maca e memória/aprendizado

Muito embora os argumentos que apoiem os benefícios da maca peruana em questões cognitivas, como memória e aprendizado, sejam baseados em testes realizados em animais, maca tem sido tradicionalmente utilizada por nativos no Peru para melhorar o desempenho das crianças na escola [11].

Em um estudo de 2016, publicado no Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, maca demonstrou melhorar a função cognitiva, a coordenação motora e a capacidade de resistência em camundongos de meia idade. Aumentou, ainda, a função respiratória mitocondrial e regulou positivamente proteínas relacionadas à autofagia no córtex. Outros estudos em animais também mostraram a atividade pró cognição da maca [12, 13, 14, 15]

Maca e saúde geral

Em um estudo comparativo entre indivíduos consumidores e não consumidores de maca, o consumo da raiz foi associado à redução dos níveis séricos de interleucina 6 (IL-6). Maca é potencialmente útil àqueles que apresentam níveis de IL-6 muito elevados. Como apontado no artigo, altos níveis de IL-6 têm sido associados a envelhecimento, obesidade, aumento da incidência de doenças cardiovasculares, comprometimento cognitivo, além de ser mais prejudicial à sobrevivência de homens do que mulheres. Por outro lado, níveis mais baixos de IL-6 foram associados a valores mais altos de aptidão física [16].   

 

MACA PODE AJUDAR NA NA SAÚDE DA PRÓSTATA?

A hiperplasia prostática benigna (HPB) refere-se ao crescimento não maligno da próstata observado com muita frequência em homens mais velhos. Pode ou não estar associada a sintomas incômodos do trato urinário inferior, aumento anatômico da próstata e compressão da uretra com comprometimento do fluxo urinário e obstrução da saída da bexiga [17].

Curiosamente, alguns estudos em roedores sugerem que a maca vermelha reduz o tamanho da próstata ou, ao menos, inibe seu crescimento anormal [18, 19, 20, 21, 22]. Enquanto que esses estudos foram testes em animais, como mencionado, é importante lembrar que maca peruana é um alimento e não um medicamento, portanto homens com HPB podem incluí-la na dieta como uma estratégia potencialmente útil.

É sugerido que o efeito da maca vermelha na próstata está ligado à sua alta concentração de compostos denominados glucosinolatos. Os glucosinolatos também já foram associadas a um risco reduzido de câncer de próstata [23].

 

MAIS ESTUDOS COM MACA

O artigo [24] publicado no Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, já referenciado nesse texto, tabelou as propriedades da maca peruana com base em diversos estudos com administração in vivo em animais experimentais.   

 

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O CONSUMO DE MACA

Enquanto que o consumo de maca peruana normalmente não causa efeitos adversos importantes e é seguro para a maioria das pessoas, especialmente se você tem disfunções de tireóide ou desconfia ser predisposto(a) às mesmas, é preciso atenção especial, uma vez que maca possui goitrogênicos. Goitrogênios são componentes que podem interferir no funcionamento normal da glândula tireóide [25, 26].

Também é importante saber que há pesquisas limitadas sobre a segurança da maca para mulheres grávidas ou amamentando. No mais, efeitos adversos potenciais podem ser observados sobretudo nos primeiros dias de ingestão e incluem sintomas digestivos e ansiedade. Uma atitude inteligente é iniciar o consumo com doses bem pequenas, como 250 mg ou algo próximo disso, e aumentar gradualmente, sempre observando atentamente a resposta do organismo.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Maca peruana (Lepidium meyenii) é uma espécie vegetal pertencente à família das crucíferas (Brassicaceae), sendo nativa da Cordilheira dos Andes. É muitas vezes mencionada como "ginseng peruano" ou "ginseng dos Andes". Sua parte aproveitada é a raiz, que hoje é facilmente encontrada na forma de pó ou em cápsulas e que pode oferecer diversos benefícios à saúde do organismo. Sua característica mais marcante parece ser sua habilidade em otimizar a saúde sexual e o vigor de homens e mulheres, mas outros benefícios também foram notados através de muitos estudos. O sabor e o aroma da maca são bem aceitos pela maioria das pessoas, o que facilita a inclusão dessa raiz nas refeições do dia a dia. Em suma, maca pode ser um ingrediente extremamente útil se o objetivo for a melhoria na qualidade de vida.


Referências

 

Voltar