ERVAS E ESPECIARIAS: COMO PODEM AJUDAR NA SAÚDE?

Quando se fala da preparação de pratos bem elaborados e deliciosos, logo vem à nossa mente a adição de ervas e especiarias. Pois é, elas não só adicionam textura e cor aos alimentos como também podem trazer novos sabores quando colocadas em diferentes combinações. Bom, que as ervas e as especiarias possuem um poder incrível de deixar qualquer alimento mais saboroso não há dúvidas, mas em que outros aspectos poderíamos nos beneficiar desses ingredientes tão populares? A seguir, conheceremos um pouco mais sobre as evas e especiarias, continue lendo.

 

O QUE SÃO ERVAS E ESPECIARIAS?

Primeiro de tudo precisamos conhecer as diferenças existentes entre ervas e especiarias, visto que, por vezes, confunde-se umas com as outras. A diferença básica entre as duas se dá pela parte da planta da qual elas são retiradas. As ervas geralmente são obtidas de partes verdes da planta, isto é, das folhas. Bons exemplos incluem salsa, coentro e orégano. As especiarias, por sua vez, são procedentes de partes distintas das plantas, tais como raízes, cascas, caules, sementes e bulbos. Alguns exemplos de especiarias incluem canela, cúrcuma e cravo-da-índia. Abaixo, uma lista com diversas ervas e especiarias:

 

COMO ERVAS E ESPECIARIAS PODEM AJUDAR EM NOSSA SAÚDE?

Ervas e especiarias, em geral, têm altos teores de antioxidantes, por isso podem ser úteis na prevenção de várias condições, incluindo as doenças cardiovasculares e as neurodegenerativas. Só para se ter melhor noção, pegando o orégano como exemplo, essa erva tem efeito antioxidante 42 vezes maior do que as maçãs, 30 vezes maior do que as batatas, 12 vezes maior do que as laranjas e 4 vezes maior do que o mirtilo (famoso blueberry). Ervas e especiarias também oferecem óleos essenciais - esses podem ser úteis no tratamento de doenças, já que possuem efeitos farmacológicos. 

 

ALGUMAS DAS MAIS FAMOSAS ERVAS E ESPECIARIAS

  • Cúrcuma: cúrcuma se destaca muito pelo seu elevado poder anti-inflamatório. É vasta a literatura mostrando seus efeitos terapêuticos (sobretudo os efeitos terapêuticos de um dos seus principais componentes – a curcumina) em diversas condições e doenças. Para saber mais a respeito, leia Uso medicinal da cúrcuma;

  • Canela: segundo pesquisadores, canela é uma das especiarias mais ricas em antioxidantes. Obtida da casca da árvore Cinnamomum, contém vários compostos, que são responsáveis por suas propriedades medicinais;

  • Orégano: para uso terapêutico pode ser aproveitado como analgésico, antibacteriano, antifúngico e antiviral, além de possuir alto poder antioxidante. Um uso muito interessante dessa erva é na aromaterapia;

  • Cravo-da-índia: de sabor e fragrância marcantes, cravo contém um componente chamado eugenol, que apresenta uma variedade de propriedades, principalmente anti-inflamatórias;

  • Tomilho: os compostos fenólicos timol e carvacrol são os principais compostos dessa erva. Tomilho possui propriedades antimicrobianas, sendo bastante conhecido como antiséptico e expectorante e também atua na inibição da peroxidação lipídica;

  • Sálvia: o principal composto responsável pela atividade antioxidante da sálvia é o ácido caféico. É potencialmente útil no tratamento de doenças neurodegenerativas, a exemplo do Alzheimer;

  • Alecrim: a atividade antioxidante dos extratos de alecrim é atribuída, principalmente, à presença de compostos fenólicos voláteis e não voláteis;

  • Manjericão: a ingestão dos compostos aromáticos do manjericão pode ajudar no combate à peroxidação lipídica, que está associada a condições como câncer, envelhecimento precoce, aterosclerose e diabetes.

 

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES SOBRE ERVAS E ESPECIARIAS

Embora as ervas e especiarias sejam ingredientes tradicionais, utilizados há milhares de anos, não são uma fonte plausível de nutrientes essenciais e macronutrientes e sim chamam bastante atenção por possuirem componentes específicos dos quais a ciência estudou e revelou capacidades potencialmente úteis no tratamento de patologias. Antes mesmo de usar ervas e especiarias/componentes isolados de plantas como medicamentos naturais é necessário um olhar crítico aos fatores no seu estilo de vida que podem estar mitigando sua saúde em primeiro lugar.

Por exemplo, não faria sentido uma abordagem onde você usa alguma erva ou especiaria ou algum componente delas isolado para abafar os efeitos de uma alimentação e um estilo de vida inflamatórios. O básico aqui, antes de tomar qualquer coisa que tenha propriedade farmacológica, é não ter uma alimentação e um estilo de vida que agridam o organismo. No mais, a adição regular de ervas e especiarias nas refeições terá um efeito positivo para maioria das pessoas, além de possibilitar toques diferentes de sabores.


Referências:

 

Voltar